Circo de Mão: Palhaço Charlito e a poesia ambulante nas ruas de São Paulo

Circo de Mão: Palhaço Charlito e a poesia ambulante nas ruas de São Paulo

Aprovado pela 7ª Edital de Fomento ao Circo da Cidade de São Paulo, o espetáculo é uma obra circense que busca refletir a própria condição da arte na metáfora de um palhaço que percorre a cidade com um circo na mão em busca de um lugar para o circo e sua poesia

Onde cabe o circo? Onde está a poesia na cidade e dentro da gente? Com atuação de Ronaldo Aguiar e direção e dramaturgia de Jhoão Junnior, o espetáculo Circo de Mão faz novas apresentações gratuitas em São Paulo, começando pelo dia 24 de novembro, às 15h na Academia Carolinas (Cidade Tiradentes).

Completam a ficha técnica a produtora executiva Damaris Santos, o diretor musical Alexandre Maldonado, a assistente de direção Luciana Viacava, a orientadora histórico-pedagógica Ermínia Silva, o cenógrafo e figurinista Kleber Montanheiro, o iluminador Thiago Zanotta e a preparadora corporal Bruna Longo.

A circulação do espetáculo busca dialogar com os espaços que vivem em estado de luta por território, tais como, ocupações de moradia tecendo relação entre essas disputas pela cidade e a jornada do Palhaço Charlito.

Sobre o espetáculo

Em cena, acompanhamos o palhaço Charlito em sua busca de um lugar para o circo e sua poesia diante de uma cidade cheia de gente, obras e prédios, mas com cada vez mais pessoas sem casa. Um palhaço em busca do seu circo, uma procura pelos os lugares onde a arte se adapta e vai encontrar o público. O palhaço segue pelo tecido urbano dialogando com o território e nos perguntando: onde cabe o circo? Onde está a poesia na cidade e dentro da gente? Onde estão as memórias de quem fomos e de quem veio antes de nós?

Sobre Ronaldo Aguiar

Ronaldo Aguiar é bailarino, coreógrafo, ator, palhaço, artista circense e diretor. Formado em licenciatura em Dança pela FPA – Faculdade Paulista de Artes. Estudou técnicas circenses na EPC – Escola Pernambucana de Circo. Participou em diversos espetáculos de circo, dança e teatro. Integrou a Cia. de Artes Movimento, a Trupe da Escola Pernambucana de Circo, o Grupo de Teatro Popular Vem Cá, Vem Vê e Jorge Garcia Companhia de Dança. Está nos Doutores da Alegria desde 2002 e, atualmente, é Diretor Artístico da Instituição. Participou das companhias de Circo mais conhecidas no Brasil como Circo Roda, Circo Marcos Frota, Circo Zanni, Academia Brasileira de Circo, Circo Mínimo e Universoul Circus nos EUA.

Sobre Jhoão Junnior

Jhoão Junnior é ator, dramaturgo e diretor Teatral. Formado pelo curso de Artes Cênicas da UFRN, desenvolveu diversos projetos voltados para o território e suas territorialidades numa prática artístico-pedagógica que articula a memória social, histórica e geografia urbana. Dirigiu espetáculos nos trens da cidade de São Paulo destacando-se ‘A cidade dos rios invisíveis’ e ‘Nos trilhos abertos de um leste migrante’, do Coletivo Estopô Balaio do qual é fundador e ex-membro. É idealizador e coordenador artístico-pedagógico do projeto Margem-Memória. Atualmente é articulador de equipe e processos do Programa de Iniciação Artística (Piá), da Secretaria Municipal de Cultura de SP e orientador artístico do Programa de Qualificação em Artes, da Poiesis e Governo Estadual de SP. Desenvolve diversas atividades no campo da formação e fruição de uma prática Teatral dentro do campo da arte comunitária e participativa.

Ficha técnica

Atuação e Pesquisa: Ronaldo Aguiar

Pesquisa, Direção e Dramaturgia: Jhoão Junnior

Assistente de Direção: Luciana Viacava

Produção Executiva: Damaris Santos

Direção Musical: Alexandre Maldonado

Orientação Histórico-Pedagógica: Ermínia Silva

Cenografia e Figurino: Kleber Montanheiro

Iluminação: Thiago Zanotta

Preparação Corporal: Bruna Longo

Operador de Som: Ivan Alves e Juliana Eva

Costureiras: Lili e Ray Lopes



Serviço

50 minutos

Livre

Todas as apresentações são gratuitas: basta chegar

Próximas apresentações:
24/11 – sexta – Academia Carolinas (Cidade Tiradentes) – 15h

Av. Souza Ramos, 430 – Guaianases, São Paulo – SP

25/11 – sábado – Centro de Acolhida Nova Vida (Barra Funda) – 10h

R. Dr. Ribeiro de Almeida – Barra Funda, São Paulo – SP

25/11 – sábado – Casa Florescer (Bom Retiro) – 15h

Rua Prates, 1101 – Bom Retiro, São Paulo – SP

28/11 – terça – Ocupação Rio Branco (Centro) – 17h

Av. Rio Branco, 53 – República, São Paulo – SP

29/11 – quarta – CCA Paulo IV (Vila Buarque) – 9h30 e 14h

R. Jaguaribe, 757 – Vila Buarque, São Paulo – SP

30/11 – quinta – Pombas Urbanas (Cidade Tiradentes) – 10h e 14h

Av. dos Metalúrgicos, 2100 – Cidade Tiradentes – São Paulo – SP

10/12 – domingo – Ocupação José Bonifácio (Centro) – 10h

Rua José Bonifácio, 237 – Centro – São Paulo – SP

Assessoria de imprensa: Pombo Correio

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *