Documenta Pantanal promove exposição com grandes nomes da fotografia

Documenta Pantanal promove exposição com grandes nomes da fotografia para chamar a atenção para a necessidade de se preservar o ecossistema e arrecadar recursos para a manutenção das Brigadas Pantaneiras

A mostra “Água Pantanal Fogo” reúne 80 imagens sob a curadoria de Eder Chiodetto que revelam, nas dependências do Instituto Tomie Ohtake, o bioma retratado pelas lentes de Lalo de Almeida e Luciano Candisani 

A maior planície alagável do planeta tem ocupado o noticiário não por sua biodiversidade e beleza exuberante, mas pelo risco de desaparecimento destas sob a ameaça da seca e do fogo. Desde 2020, quando o bioma foi atingido pelos piores incêndios de sua história, que consumiram quase 30% de sua extensão, os episódios de risco de repetição da tragédia não foram poucos. Uma das maiores iniciativas para combate às chamas está na formatação das Brigadas Pantaneiras, programa do SOS Pantanal que será o grande beneficiário de ação do Documenta Pantanal para arrecadação de recursos por meio de exposição e venda de seis quadros dos fotógrafos Lalo de Almeida e Luciano Candisani. Eles farão parte da mostra “Água Pantanal Fogo” que, com curadoria de Eder Chiodetto, contemplará 80 obras no total e ficará em cartaz de 7/3 a 12/05 no Instituto Tomie Ohtake. A mostra tem patrocínio do Itaú e da CSN.

“Água Pantanal Fogo” levará ao público os contextos antagônicos que integram a paisagem pantaneira. Dessa forma, Lalo de Almeida terá exposta sua produção fotográfica diante do fogo que assolou o Pantanal durante os incêndios de 2020, enquanto Luciano Candisani levará ao público seu trabalho feito durante cheias locais, com imagens que constituem um acervo iconográfico de suma importância. Lalo, com fotografias que rodaram o mundo, teve sua série de fotografias ‘Pantanal em Chamas’ premiada na categoria Meio Ambiente no World Press Photo. Candisani, por sua vez, é um dos maiores nomes de sua área de atuação, tendo trabalhado em 40 países, incluindo as regiões geladas do Ártico e Antártica, e fazendo parte do coletivo The Photo Society, grupo exclusivo de fotógrafos com matérias completas publicadas na edição principal de National Geographic.

As seis imagens que estarão à venda na exposição “Água Pantanal Fogo”, com renda totalmente revertida em prol das Brigadas Pantaneiras, foram doadas por Lalo e Luciano, que são apontados pelo curador da exposição – Eder Chiodetto – como “cronistas visuais que frequentemente buscam parcerias com cientistas e pesquisadores. Para obter o resultado exposto nessa mostra, criam logísticas complexas e se expõem a vários tipos de perigo. É em trabalhos como esses, que aliam idealismo, paixão e militância, que a fotografia alcança seu ápice, tornando-se uma janela aberta a revelar as idiossincrasias e o sublime do mundo”.

Não é a primeira vez que o Documenta Pantanal articula ação em prol da preservação da maior planície alagada do planeta. Em 2021 promoveu o evento ‘Artistas Pelo Pantanal’, quando 45 obras, em diversas linguagens, foram doadas por 42 artistas visuais, alcançando uma arrecadação de R$ 2 milhões. À época, participaram da iniciativa obras de artistas como Adriana Varejão, Araquém Alcântara, Carlito Carvalhosa, Elisa Bracher, Jac Leirner, João Farkas, José Bento, Laura Lima, Leda Catunda, Luciano Candisani, Luiz Zerbini, Regina Silveira, Santídio Pereira e Sérgio Sister e Vik Muniz. De acordo com Mônica Guimarães, coordenadora do Documenta Pantanal, “está no escopo do Documenta ações que possam auxiliar trabalhos em prol do preservação do Pantanal. O bioma continua a queimar e nesse ano ainda tivemos incêndios em plena cheia, o que é muito preocupante e óbvio reflexo das condições climáticas. Essa é uma extensão da ação que fizemos em 2021 e que continuaremos a fazer com todos os artistas que se dispuserem a ajuda o Pantanal”.

Atuantes desde 2020, as Brigadas Pantaneiras, programa a ser beneficiado com as doações, têm um propósito claro: prevenir e responder aos focos de incêndio. São 24 brigadas treinadas e equipadas, espalhadas entre fazendas e comunidades, que tem um papel crucial nas operações de prevenção e combate coordenadas pelas instituições competentes. Até outubro de 2023 as brigadas foram responsáveis pela diminuição em 89% de área queimada em suas áreas de atuação, com redução de 76% dos focos de calor das mesmas, protegendo um território de mais de 650 mil hectares. Esses números podem se tornar ainda mais expressivos com expansões planejadas. Para isso, cada doação contribuirá diretamente para cobrir custos de logística e operação dos brigadistas, que enfrentam riscos diários para proteger fauna, flora e o equilíbrio ecológico do Pantanal.

De acordo com Leonardo Gomes, diretor-executivo do Instituto SOS Pantanal, “com essa incrível exposição temos o olhar de dois grandes fotógrafos sobre dois elementos imperativos na formação do Pantanal. Além de trazer visibilidade às belezas e preocupações em torno da água e do fogo, o recurso arrecadado com a venda das fotos irá fortalecer um outro elemento crucial para o bioma, o pantaneiro. O valor será utilizado na manutenção de equipamentos, capacitação e aprimoramento das brigadas de incêndio, numa perene e fundamental ferramenta de adaptação às mudanças climáticas, além das melhorias no sistema de monitoramento remoto que chega por telefone a dezenas de comunidades nos diversos pantanais” afirma.

Exposição: 

ÁGUA PANTANAL FOGO 

Curadoria: Eder Chiodetto

Patrocínio: Itaú e CSN

Abertura: 08 de março

Em cartaz até 12 de maio de 2024

De terça a domingo, das 11h às 19h – entrada franca

Instituto Tomie Ohtake

Av. Faria Lima 201 (Entrada pela Rua Coropé, 88) – Pinheiros SP

Metrô mais próximo – Estação Faria Lima/Linha 4 – amarela

Fone: 11 2245 1900

Imagem em destaque: Luciano Candisani_PANTANAL_Magabal_MS

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *