Exposição “Misericórdia e Algazarra” Desafia Normas Sociais e Celebra o Poder de Mulheres Artistas de Rua

Exposição “Misericórdia e Algazarra” Desafia Normas Sociais e Celebra o Poder de Mulheres Artistas de RuaDurante a Semana de Design de São Paulo, o DW!, uma Ode à Resistência e à Subversão na Cidade Cinza

De 14 a 23 de março, em meio à concreta selva urbana de São Paulo, irrompe uma explosão de cores, sons e protestos. A exposição “Misericórdia e Algazarra | Goma Pelas Minas” vai além do simples showcase de obras artísticas – é um manifesto audacioso, um grito de resistência que desafia as normas sociais. Prepare-se para ser arrebatado por uma avalanche de criatividade e questionamentos.

Nos recantos sombrios do Ed. Largo da Misericórdia, onde ecoam histórias esquecidas, a exposição traz à luz a rica e turbulenta história do Chafariz da Misericórdia, erguido em 1792 por Tebas, o primeiro arquiteto negro do Brasil. Símbolo de resistência e encontro na São Paulo colonial, o Chafariz era um local de reunião e trabalho para a população, especialmente os escravizados. No entanto, a vizinhança rica da época, incomodada com a felicidade e a algazarra dos frequentadores, solicitou sua remoção, apagando assim uma parte crucial da história da cidade.

Sob a curadoria de Felipe Morozini, a exposição apresenta uma narrativa provocativa que convida o público a refletir sobre questões como propriedade, encontro e resistência. Este evento não é uma simples nostalgia pelo passado, mas um chamado urgente para despertar do sono letárgico da indiferença e enfrentar de frente as injustiças do presente. É um convite para mergulhar de cabeça na desconstrução do status quo, desafiar as normas estabelecidas e repensar o significado de arte e vandalismo em uma cidade que prefere calar as vozes discordantes.

Entre os destaques desta explosiva exposição está a participação da designer Renata Moura, que já ganhou alguns dos mais importantes prêmios e indicações do mundo do design, como o IDEA e o IF Awards. 

Ela convidou oito mulheres artistas para customizar bancos Goma. Auá Mendes, Brixx Furtado, Eneri, Mimura Rodriguez, Nihao, Pati Rigon, Soberana Ziza e Yez Yas – seus nomes ecoam como trovões nos becos escuros da cidade, desafiando convenções e reivindicando seu lugar de direito no panteão da arte urbana.

E não se engane: esta exposição não é apenas um espetáculo visual, mas uma experiência visceral que irá sacudir as fundações da sua compreensão do mundo. Prepare-se para ser atropelado por uma avalanche de cores, formas e ideias, para ser desafiado, provocado e inspirado como nunca antes. Pois aqui, nas ruas de São Paulo, a arte não é apenas uma expressão – é uma revolução em marcha.

Artistas:

Renata Moura: Designer industrial especialista em móveis, embalagens e que atua com uma diversidade grande em diferentes áreas do design catarinense que busca influenciar positivamente as pessoas e gerar novas experiências através do design.

Felipe Morozini: Artista plástico, fotógrafo e ativista cultural brasileiro conhecido por seu trabalho diversificado e por sua defesa dos direitos dos artistas e da cultura.

Auá Mendes: Indígena do Povo Mura e artista manauara do Amazonas, reconhecida por suas expressões artísticas multidisciplinares.

Brixx Furtado: Artista autodidata que explora diferentes formas de expressão artística, incluindo graffiti, murais e pinturas.

Eneri: Conhecida nas ruas como Eneri, é uma das figuras mais expressivas no cenário do pixo em São Paulo, desafiando as barreiras de gênero e contestando os limites da arte.

Mimura Rodriguez: Artista visual, tatuadora e Yaô de Oxossi, cuja obra propõe reflexões sobre vida, natureza e ancestralidade.
Nihao
: Grafiteira e cartunista natural de Campinas, conhecida por suas criações únicas e coloridas que exploram a representatividade feminina.

Pati Rigon: Multi-artista, trabalha com pinturas, graffitis, tatuagens e também é atuante na militância feminista e trans-intersexo brasileira.

Soberana Ziza: Artista que pesquisa estética sobre negritude e feminino, atuando desde 2006 em intervenções urbanas e galerias.

Yez Yas: Artista autodidata que explora a representatividade feminina em suas produções, destacando-se pela utilização de tons vibrantes e texturas.

SOBRE A EXPOSIÇÃO:

Exposição: 14/03 a 23/03

Horário de Funcionamento: Seg. a sáb.: 12h às 22h, Domingo: 12h às 20h

Local: Ed. Largo da Misericórdia, 8º e 9º andar, Largo da Misericórdia, 20 – Sé, São Paulo/SP

Evento Oficial do DW São Paulo: @dwsemanadedesign

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *